Colaboran SEGIB y Ministerio de Asuntos Exteriores y de Cooperación

Dia Internacional para Redução de Desastres (13 de outubro)

Iberarquivos comemora hoje o Dia Internacional da Redução de Desastres, data estabelecida com o objetivo de minimizar os riscos derivados das catástrofes naturais e gerar uma cultura mundial de prevenção e preparação para os fenómenos naturais.

Quando ocorre uma catástrofe deste tipo, o principal são as vidas humanas, mas, em segundo lugar, é essencial proteger o património documental. Uma perda desse tipo é a situação mais crítica que um arquivo pode enfrentar. As causas são muito variadas, mas geram alterações violentas que em muito pouco tempo são capazes de destruir completamente documentos, depósitos e arquivos inteiros.

A maioria dos desastres pode ser evitada por meio do planejamento ou gestão de desastres, que engloba técnicas de prevenção e conservação. Além disso, permitem estabelecer protocolos de atuação e reunir os recursos necessários para atuar corretamente na proteção e salvamento da documentação.

Uma das linhas do Programa Iberarchivos é a promoção da prevenção de desastres, voltada para projetos que buscam realizar ações preventivas contra os efeitos de desastres em arquivos, causados ​​por diversos tipos de catástrofes, como fogo, água, forças físicas , fenômenos meteorológicos ou pela ação do homem, através de atos de vandalismo, sabotagem, ações militares ou simplesmente por falhas acidentais.

Apresentamos alguns dos projetos focados na prevenção de desastres:

Um dos projetos de maior destaque é o projeto de pesquisa 2017/002 “Conservação Preventiva de Arquivos em casos de desastres naturais” realizado pelo Arquivo Nacional do Chile e que consistiu em recolher o conhecimento instalado na América Latina sobre os desastres naturais e a ameaça perda ou dano a arquivos diante desses fenômenos. Os principais agentes identificados foram: terremotos, inundações, incêndios, pragas, furacões e erupções vulcânicas. Este projeto incluiu a criação do documento denominado “Compilação da situação atual de Iberarchivos para a preparação na gestão de emergências”, a síntese da produção bibliográfica, a criação de guias de enfrentamento às emergências e o estabelecimento de um plano de trabalho para 3 anos (2018-2020). A equipe do projeto era composta por Emma de Ramón Acevedo, Diretora do Arquivo Nacional do Chile e responsável, Natalia Ríos Martínez, Chefe da Unidade de Conservação da mesma instituição e coordenadora de pesquisa, e pelas pesquisadoras e curadoras Katerina Arias Ferrada e Carolina González Bravo.

Na reunião do Comitê Intergovernamental que se realizou na Cidade do México em novembro de 2017, foi aprovada por unanimidade a concessão a Porto Rico de uma ajuda de 20.000 euros para o projeto 2017/001, voltado para o Plano de Recuperação do Arquivo Geral de Porto Rico , após os desastres produzidos pelos furacões de Irma e María. O auxílio foi concedido graças ao Prêmio UNESCO Jikji de Memória do Mundo que o Programa recebeu em 2016.

O Equador, por outro lado, tem o projeto 2015/111 denominado “Plano de recuperação emergente para as províncias de Pichincha, Esmeraldas, Manabi, Guayas e Los Ríos afetadas pelo terremoto de 16 de abril de 2016” Em 16 de abril de 2016 foi registrado no Equador, um terremoto de magnitude 7,8 na escala Richter, cujo epicentro foi localizado no cantão de Pedernales (Manabí), afetando principalmente as províncias da região costeira do país. Entre as muitas ações realizadas para recuperar e reabilitar o património cultural estava a elaboração de um Cadastro dos Arquivos Históricos afetados que permitiu conceber e planear um conjunto sustentado de ações a curto, médio e longo prazo.

O projeto supranacional 2009/209 denominado “Diagnóstico e primeiros socorros dos arquivos haitianos” Devido à situação de emergência que viveu o Haiti em consequência do terremoto ocorrido em 12 de janeiro de 2010, após o primeiro momento em que foi resgatado vidas humanas, foi proposta a realização de um projeto de canalização de ajuda para o Arquivo Nacional do Haiti. O projeto foi concebido para ser executado em conjunto pelo Arquivo Geral da Nação da República Dominicana e pelo Arquivo Nacional de Cuba.

“Os desastres não são naturais, mas são o resultado de omissões e da falta de prevenção e planejamento diante dos fenômenos naturais”.

Iberarchivos “Os arquivos são frutos do passado e devem ser preservados para as gerações futuras.”

Top